Poesias Doentias 10

Padre zoófilo

“No confessionário de uma igreja um padre se diverte,
acompanhado de uma freira em que mete,
Após muito prazer com sexo oral,
arromba seu orifício anal

Eis que na Igreja entra um cachorro
sujo, sarnento e sem nenhum pêlo.
Na boca da freira o padre solta um esporro
e vai atrás do animal para fodê-lo.

Com força agarra o animal fedorento
e penetra em seu ânus cheio de excremento
O ser esganiça como se estivesse no inferno
enquanto são furados seus órgãos internos

Escorrem lágrimas de seus olhos remelentos
até explodirem em um espetáculo sangrento
De suas sarnas jorrava litros de pus
o espetáculo do empalamento o padre conduz

Estômago, intestino e coração
pela boca vão saltando
Esôfago, cérebro e pulmão
o pênis vai arrebentando

O padre, excitado e louco de prazer
o cão acaba rasgando
Aprecia a mutilação e o sangue escorrer
e por fim acaba gozando”


por D. Priest Ripper.

3 Responses to Poesias Doentias 10

  1. RICABONI says:

    PESSIMOO…ESSE CARA GOSTA MESMO DE COMER CÚ DE CACHORRO

  2. Anonymous says:

    que merda

  3. voces sao nojentos

Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: