Poesias Doentias 4

ROLÊ GORE

“Andei na floresta em busca de flores
E na caminhada encontrei mil horrores
Tinha um corpo podre e decepado
Sem pernas,sem rosto num tronco enforcado
Eu ouvia vozes e ruidos estranhos
No solo aranhas e nos galhos paranhos
Eu não sabia se chorava ou intão ria
Na verdade eu nem sei o que eu sentia
Mas sei que foi um dia insano
Tudo apodrecia a passar dos anos
As horas eram lentas o meu olhar sonolento
Caramujos enormes escorregavam ao relento
Um mundo magico de gozo e sangue
E eu fudia um cadaver no mangue
Que historia escrota e insana é essa?
É só um rolê gore numa sombria floresta”


por Victor.

Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: