Tese do cocô de gato.

Conheci esta linda garota ruiva sardenta branquela no parque, estava eu sentado num banco lendo um livro qualquer sobre mecânica quântica avançada quando ela se aproximou e puxou algum assunto do tipo “adoro os livros desse autor”, deve ser feromônio exalado de minhas axilas.

Bem… Após algumas preliminares pré-coito, combinamos de almoçarmos juntos, escolhi um restaurante qualquer de meu gosto e, ao nos servirmos no buffet, ela soltou uma pergunta intrigante que desencadeou um sério debate sobre os hábitos alimentares presentes em nossa cultura.

Aparentemente ela não conseguia entender porque um restaurante chamado “prato verde” não servia carne, teriam esquecido a bandeja na cozinha? Carne é para ela um alimento essencial para sua sobrevivência, o prazer em afiar uma lança, se esconder no mato e caçar o animal desprevenido e apavorado, ah, não, sei lá…

Ela me questionou porque eu não comia carne, seria religião? Promessa? Dieta? Seria alguma doença? Ou eu apenas era um hippie maluco naturista e ativista do greenpeace?

Após explicar que não era apenas por respeito à forma de vida escravizada ou não, mas também por pura simplicidade na absorção de nutrientes direto da fonte deles e não já processados e em menor escala vindo de outros consumidores secundários, ela começou a afirmar como se tivesse mestrado em nutricionismo que carnes tinham nutrientes que não se encontram em nenhum outro lugar, plantas por exemplo.

Então, no meio de nossa deliciosa refeição, apresentei minha tese:

Imagine hipoteticamente que cocô de gato é rico em vitamina B19. Você come cocô de gato porque seus pais lhe ensinaram a isso, assim como seus avós e bisavós.

A princípio você questiona por quê come cocô, é nojento, fedido, tem de ser conservado congelado e cozido antes do consumo porque tem vermes e micróbios que causam doenças.

Então você começa a se informar sobre comer cocô de gato, primeiro você vê em revistas coisas do tipo “cocô de gato é vida”, “como preparar um bom cocô de gato para os amigos”, “fezes felinas com calda de caramelo”, nham! Todos falando dos proveitos em ingerir um alimento rico em vitamina B19. Ajuda os pelos do braço crescerem, te dá uma melhor visão noturna e auxilia na dilatação das pupilas, melhora a audição e o olfato!

Você não consegue montar um quadro a partir destas informações, você pode desistir e continuar comendo, ou procurar informações mais detalhadas. Então se aprofunda um pouco, que diabos é vitamina B19?!

Vitamina B19 é muito importante pro nosso corpo, pois auxilia o desenvolvimento dos sentidos e é essencial para a sobrevivência, lê em alguma revista mais especializada em excrementos. Você decide pesquisar então para que exatamente serve a vitamina B19, e acha num livro didático de ciências do ensino fundamental uma tabela das vitaminas e minerais, nela diz que vitamina B19 é fundamental na formação de hormônios.

Hormônios? Quais? Tem a ver com fazer musculação?! Você então procura que hormônios o corpo humano produz. Nossa, quantos! Você passa a seção de neurotransmissores direto, afinal não te interessa, caso tenha isso no livro.

Nesse meio tempo você descobre que a vitamina B19 é uma molécula, trilítio. É comida e é molécula também? Mas qual a aplicação na formação hormonal? Essa molécula se liga com uma proteína qualquer lá duma beterraba e forma um feromônio fundamental para a amígdala, que é uma espécie de glândula atrás da boca, e que ela é responsável pela coordenação emocional das crianças e adolescentes usada como principal centro de raciocínio antes de se estender para o resto do cérebro. Meu pai extraiu isso quando inflamou…

Parece importante, você neste momento vê num programa de TV um médico falando que “quem não come merda de gato pode morrer”, e em todo caso você continua comendo, afinal a autoridade falou tá falado. Mas você já estava com a pulga atrás da orelha quanto a isso mesmo, então continua pesquisando já tem várias peças deste quebra cabeças, mas ainda não encaixou elas.

Num livro lá de neurologia lê que carbonitrato de dilítio é um dos principais neurotransmissores responsáveis pela formação medo. Agora você tem todas as peças mas ainda não sentiu aquele estalo atrás da nuca ao associar tudo.

Com uma mente poluída de fantasia e ficção, você começa a sonhar acordado em que não sentir medo seria algo muito legal. Imagine que coisas incríveis você poderia fazer, desinibido de temores e frustrações desafiaria perigos. Até que você se dá conta que quase todas coisas que faria sem medo te levariam a morte. Aí você sente o estalo…

Sem medo, as pessoas estúpidas que são fariam coisas absurdas como saltar de prédios, beber combustível ou inalar fumaça. Medo era uma emoção essencial para quem não é precavido o suficiente e ter senso de perigo para evitar os riscos mesmo sem realmente teme-los.

Então o médico estava certo, meus pais e avós estão certos, e todas pessoas estão certas ao comer cocô de gato, certo? Delícia!

Agora você leu e se informou o suficiente para expandir o cérebro, e quem sabe conseguir raciocinar sobre outras coisas como por exemplo comer sementes de laranja assadas, que são ricas em nitrato de dilitio. E ainda pode usar o cocô de gato como fertilizante para as laranjeiras.

Ela apenas concordou com um sorriso de 5° de elevação labial direita, e uma diferencial abertura do olho esquerdo em relação ao direito, falou que eu devia trabalhar como nutricionista, apesar que minha pos-graduação por correspondência em psicanalise com especialização em expressão facial dizia que eu deveria é ser veterinário, nos despedimos e ela disse que me ligaria no fim de semana para combinarmos de sair.

Não tenho certeza se ela ligou, pois eu estava na internet vendo fotos eróticas femininas e me masturbando e a linha tava ocupada. Mas não me preocupo muito, pois senti logo de início que nossos genes não seriam mutuamente compatíveis.

Mr. Meaty é formado em parapsicologia, trabalha num açougue, e tem orgulho de ser vegetariano!

7 Responses to Tese do cocô de gato.

  1. Anonymous says:

    Esse texto me deu uma coceirinha estranha aqui na nuca…

  2. felicia says:

    nao entendi…..vc come coco de gato?

  3. Doente says:

    Não, mas acho que sua mãe comeu quando estava grávida de você…

  4. Mariana says:

    Engraçado.. eu estava estudando sobre as relações entre sistema imune e digestório, e sua página surgiu aqui… rs…Embora não tenha relação com o que eu estava procurando, foi ótimo! rs.. Muito bom o seu texto!!Gostei da forma como você escreve…Abraços!

  5. Não achei interessante a ótica. Sou vegetariano a 30 anos e minha esposa come carne, sem querer ela é quase uma vegetariana, nunca proibi, pelo contrario.Somente com Seitan feito em casa e me acompanhando na minha comida, hoje seu sistema fisiologico não sempre aceita a carne, tem diarreia e manera quando come. Crio gatos de rua e duvido que alguem pudesse comer coco de gato, talves de vaca? Quem sabe?

  6. Anonymous says:

    de laranja não… a semente milagrosa é de maçã… uma colherada de sementes de maçã é uma biocida poderosa que mata bactéria, fungo, e até células de câncer. tem alguns efeitos colaterais, mas tudo tem, remédios alopáticos tem, até homeopatia em extremo excesso causa um pouco mal…

  7. fuckyou says:

    que merda cara vai tomar no cu

Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: