Críticas Doentes: Black Snake Moan

ASSISTI BLACK SNAKE MOAN pura e exclusivamente por causa da Christina Ricci por quem nutro uma paixão platônica, sim, eu tenho. Nunca escondi de ninguém. Não sou vidente, mas que tinha uma pomba-gira encostada na Ricci, tinha. Se mãe Dinah assistir o filme pode confirmar.

Os blues da trilha sonora também são muito gostosos, mas o resto soou ofensivo demais à minha inteligência.

A semi-nudez ricciana me fez babar de inveja e me perguntei várias vezes se Samuel L.Jackson realmente não quis comer a Ricci – que interpreta uma ninfomaníaca, que dava pra qualquer um – ou não bateu uma punheta em sua homenagem. Não, ele tem é que estar afim de comer a gordinha da farmácia, S. Empatha Merkerson. Moral acima de qualquer suspeita, apesar do cara entornar todas e estar separado da mulher.

A estupidez social do filme é que todos os negros são feios e com uma aura de bondade, enquanto todos os brancos são bonitos com uma aura de insuficiência mental. Até o negro traficante e gigolô é bom caráter.

O único personagem negro com beleza é uma figurante que se esconde por trás da bateria no palco de uma espelunca, com uma bandana. Os demais, valha me Deus!

Por outro lado, a bondade dos negros é tanta que Samuel L. Jackson acorrenta a pobre Ricci pela cintura e a gente nem se pergunta se, e se fosse ao contrário, John Travolta acorrentando a Thandie Newton, Travolta seria crucificado antes mesmo de ser lançado o filme?

Outra coisa que já ficou intragável: para Hollywood todos os pais são pedófilos e abusam de suas filhas. Doze entre cada dez filmes passam essa mensagem.

Mas vale a pena ser visto, o filme é muito atraente.

Hate defende os direitos iguais entre as raças. Seu único lema é: “Diante de mim, todos são iguais.”

One Response to Críticas Doentes: Black Snake Moan

  1. joao says:

    nunca vi pior critica, meu brother, fico triste de ver talpensamento, cara somos movidos por ideais, o persobnagem interpretado por samuel jackson tinha o seu, foi traido mas nao deixou de acreditar no amor, o filme se inicia e chega ao fim falando de amor e suas manifestaçoes, e voce escreve uma critica falando “comer”, sao pensamentos mediocres como o seu quwe fazem o sexo ser como e na sociedade, mal visto, sujo, ecomo uma competiçao. voce citou cansaço “de inteligencia”,sem checarexistencia

Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: