Versão Brasileira: Herbert Richards

Foi no quente verão de 1998 que eu decidi trabalhar como auxiliar de escritório em uma empresa de Cuiabá. Eu imaginei que o trabalho fosse ser simples, rotineiro e tedioso, mas ao contrário, foi bem agitado.

Apesar da minha função lá nunca ter recebido um nome oficial, eu tenho quase certeza de que era algo não muito positivo. Eu era, na verdade, o assistente pessoal de dois diretores executivos de uma das maiores empresas do ramo agropecuário do centro-oeste. Eu fazia de tudo, desde levar roupas para lavar, comprar presentes, até manter o banheiro deles cheiroso e abastecido com papel higiênico, balinhas e revistas.

Depois de umas seis semanas nesse árduo trabalho eu comecei a sentir uma estranha, mas intensa coceira no meu saco. A combinação do calor úmido do Mato Grosso, aliado ao suor da correria e falta de higiene fizeram com que eu tivesse uma nova espécie de coisa (!?) crescendo na minha área de lazer. Alguns chamam isso de podridão escrotal outros de fungos, micose, descamação, rachaduras ou frieira nas bolas. Mas o mais comum mesmo é chamar isso de coceira no saco.

Procurei o médico local, que me receitou algumas pomadas refrescantes e pediu que eu arejasse mais minhas partes. Então a maior parte das noites eu ficava pelado com um ventilador ligado na potencia máxima apontado para os países baixos. Assim a coceira era suportável… Durante o dia, porém, a história era outra. Dor, queimação, coceira, ardência e mais dor.

Não sabia mais o que fazer para aliviar a coceira. O meu saco estava vermelho e irritado de tanto esfregar. Em alguns momentos sentia vontade de cortar fora a bolsa escrotal, tamanho o desconforto que este orgão me causava. Em um momento de desespero cheguei a me depilar… isso mesmo… raspei os pelos das minhas bolas para ver se a coceira sumia… mas não adiantou muito. O calor daquela cidade só fazia os fungos aumentarem.

Havia um spray que funcionava muito bem no local e podia ser aplicado em qualquer banheiro, porém o efeito não durava muito. Logo o comichão voltava com intensidade dobrada. Então, para um alívio mais duradouro eu precisava passar um creme denso, pegajoso e fedorento. O problema é que o único local onde havia espaço suficiente para aplicar esse creme através de um movimento típico de yoga era o banheiro dos patrões, do qual eu, por acaso, era proprietário de uma cópia da chave.

Então certo dia lá estava eu pelado da cintura para baixo, totalmente desprevenido com um dos pés apoiado na pia, fazendo movimentos vigorosos para passar o creme na genitália, quando eu ouvi a porta ranger. Antes que eu pudesse pensar em algo, um dos executivos adentra no banheiro e dirige o olhar diretamente para o meu escroto.

Eu não consegui me mexer, e só murmurei “Isso não é bom… não é nada bom”. Aparentemente, em minha ânsia por alívio, eu esqueci de trancar a porta do banheiro. Oops…

Eu fui demitido imediatamente sem direito a questionamentos. Até poderia haver ainda uma possibilidade de argumentar, de modo que eles entendessem meu problema. Isso é… se eu não estivesse usando a requintada toalhinha de rosto do meu chefe para limpar o creme. Por isso eles ainda descontaram 40 reais do meu último pagamento.

Fim da história de trabalho de verão :(

(traduzido e adaptado do original em inglês, postado aqui!
)

5 Responses to Versão Brasileira: Herbert Richards

  1. Anonymous says:

    Coceira no saco é foda mesmo…

  2. Anonymous says:

    Herbert Richers Morreu :(

  3. Anonymous says:

    Ronaldo!

  4. fel says:

    foda

  5. fela da puta says:

    Como essa merda coça! Inferno, Caralho, boceta! devo ter pego sarna ou chato de alguma piranha vadia que comi

Deixe um comentário

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: