A hipocrisia dos jogos Pan-americanos

Rio 2007

2007 é o ano do Pan do Brasil. Em breve todas as ruas estarão cheias de faixas e bandeiras coloridas. Posso prever que, com a ajuda da Rede Globo, iremos presenciar o retorno de todo aquele ufanismo muito comum durante o período militar. Assim como ocorre nos anos de Olimpíadas ou Copa do Mundo de futebol, veremos todo o povo torcendo enfaticamente por uma nação que não provém o mínimo de dignidade necessária à manutenção do bem estar comum.

Acreditam que o fato do país figurar entre os primeiros no quadro de medalhas automaticamente o tornará um local melhor e mais seguro de se viver. A boa atuação de um time de futebol pode apagar o fato de vivermos em um país onde a lei é ignorada por criminosos que podem mandar e desmandar sem medo de sofrer alguma punição. Uma nota 10 em ginástica pode fazer as pessoas se esquecerem de que assassinos agem com crueldade e frieza suficiente para arrastar um menino até a morte. Uma medalha de ouro ou prata no voleibol pode substituir os milhares de hectares de floresta amazônica que estão virando carvão para enriquecimento de poucos fazendeiros (poucos, porém poderosos). Um nadador ganhando uma medalha de bronze pode até mesmo livrar a cara do governo, fazendo com que ninguém se lembre dos escândalos de corrupção ocorridos em um passado recente.

Outra grande hipocrisia são os jogos para-olímpicos (ou, nesse caso, os para-panamericanos). Em uma tentativa de se esconder o egoísmo do brasileiro, que é capaz de ignorar a própria pobreza, o governo e empresas ávidas por publicidade financiam o treinamento de poucos para-atletas privilegiados que acabam rompendo a barreira do preconceito, fazendo com que as mesmas pessoas que antes os chamariam de “aleijados” passem a admirá-los. Porém o país pouco ganha com isso. Os deficientes, assim como toda a população, continuam enfrentando hospitais superlotados, transportes públicos caros e de má qualidade, falta de moradia, altos impostos, corrupção, má gestão de dinheiro público….

Talvez seja chocante afirmar isso, mas o brasileiro realmente é egoísta! Entre inúmeros exemplos, vale citar que muitos recebem cestas básicas em seus empregos e as revendem, ao invés de doá-la a quem realmente precisa; fecham os vidros ao ver um garoto fazendo malabarismo ou cuspindo fogo no semáforo; ignoram a existência da prostituição infantil; simulam desconhecer o analfabetismo funcional derivado da má qualidade do ensino público; torcem o nariz ao ver a realidade dos habitantes de uma favela; se recusam a admitir a existência mendigos e crianças de rua etc… é mais fácil e mais cômodo varrer a sujeira para baixo do tapete e ser feliz do modo que as coisas estão.

Pois é… além de egoísta, o brasileiro é acomodado…

É proibido cagar nessa área bando de filhos da puta sem costume

O patriotismo de verdade não está no fato de torcer pelo país durante eventos esportivos. Está nos pequenos atos de cidadania feitos no dia a dia que podem transformar as áreas onde passamos a maior parte do tempo em locais agradáveis de se viver…

Vomitado por Floyd

2 Responses to A hipocrisia dos jogos Pan-americanos

  1. Anonymous says:

    bando de vaca goda do olho gordo suas vadias nojentas fica estragando os pênis dos pasto alemão e eu aqui sem comsegie me satisfazer sexualmente so um menino que sofre muito com a minha vida isto que eu tenho nem é vida mais eu vou matar essa vadia ana dias sua puta maudita porra é vc sua filha da puta digrasada sem vergonha vc é o capeta sa maldita e odeio todos os homes que apoita assas malditas essas coisas que vcs chama de mulher mulhe não existe mais se a evolusão do homes fio o macaco emtão as mulheres foi a vaca veia vei rabu podre que evoluio o deus feis os homes tudo oque foi pra lata de lixo o diabo pegou e feiz a mulhe

  2. marlos silva says:

    eu gostaria de saber com quantos cachorros voce ja transou pelo que vejo voce e uma zoofila deve ter os vinte anmais seu cu e sua buceta deve estar todo relaxado de pica e de no do bicho

%d bloggers like this: